Feminícidio: homem é preso após ameaçar, agredir e atear fogo em residência

delegacia colina

Os Policiais Militares da cidade de Colina prenderam em flagrante pelo crime de Feminicídio e violência doméstica, o trabalhador rural F.F.D., 35 anos, morador naquela cidade.

Segundo consta, os Militares, cabos Evangelista e Da Silva, apresentaram no Plantão Policial de Barretos o indiciado e a vítima M.S.S., 45 anos, moradora no Conjunto Habitacional Nosso Teto, em Colina.

Em seu relato a mulher noticiou que iniciou um relacionamento amoroso com o indiciado em fevereiro de 2016, e três meses depois ele pediu para ir morar na casa dela.

No início a relação entre o casal era harmônica, porém, durante a Festa do Cavalo deste ano, no primeiro dia da festa, ao chegar do trabalho, o indiciado foi para o bar, se embriagou e quando se encontrou com a vítima passou a discutir com ela, e então encontrou um “podão” na casa e depois, já do lado de fora da residencia, a perseguiu.

A Policia Militar foi acionada, porém o podão não foi encontrado e na ocasião o indiciado acabou não sendo preso, sendo que naquele dia a vítima acabou passando a noite casa de uma amiga, e quando retornou para casa, o indiciado havia deixado o lar. Depois dessa data eles não mais reataram o relacionamento, e o indiciado passou a perseguir a vítima, que informou que ele pulava o muro para entrar na casa dela e só saia quando a vítima pegava o telefone para chamar a polícia e que ele a ameaçava constantemente, dizendo ainda que não gosta de Polícia e que se ela chamasse a Polícia ele iria se vingar.

Desta feita, por volta das 3horas da manhã, o indiciado pulou o muro da casa e começou a gritar para a mulher abrir a porta, porém ela não abriu, e ele então disse que iria voltar.

Por volta das 5horas da manhã, mais uma vez o homem foi até a casa da vítima exigiu que ela abrisse a porta, afirmando que precisava de documentos que estariam em uma pasta embaixo do colchão.

A mulher verificou e, de fato, havia ali uma pasta, e lhe entregou, passando a pasta pela janela, ocasião em que o homem novamente perguntou se ela não iria abrir a porta.

Ela então pegou o telefone para chamar o dono da casa, mas o indiciado passou a gritar que ela deveria chamar a Polícia e os Bombeiros, vindo a arrombar a porta e entrar na casa.

Neste momento a vítima conseguiu se esconder atrás da porta do banheiro, tendo o homem entrado correndo para dentro da casa, indo em direção ao quarto.

A mulher saiu do banheiro rapidamente para empreender fuga do indiciado, enquanto ele, dentro da casa, procurava por um podão que costumava ficar embaixo do sofá, porém ele não encontrou o podão, mas foi atrás da mulher e conseguiu segurá-la pelo braço, mas como ela fazia uso de uma blusa de frio, conseguiu se desvencilhar dele despindo-se da blusa, porém, ele ainda desferiu um chute na perna da mulher, que a esta altura tinha em mãos uma faca, vindo ele, sem sucesso, tentado lhe tomar a arma.

O homem votou a agredir a mulher com um chute, ocasião em que ela caiu sobre um sofá e ele escorreu, mas ela se recuperou rapidamente e correu novamente em direção à rua, tendo ele ido atrás, mas não a alcançou.

A vítima voltou a sua residência somente por volta das 7h30, quando então providenciou o reparo na porta com o auxílio de seu vizinho, e novamente o indiciado por lá apareceu, entrou na casa e gritou para o vizinho sair dali e que era para a mulher chamar os Bombeiros porque a casa estava pegando fogo.

Ao perceber o perigo que corria a mulher resolveu deixar o local, mas o homem tentou segurá-la, mas a vítima, “por Deus” (sic), conseguiu se desvencilhar e correu para a rua.

Depois que o indiciado saiu da casa, a vítima tentou retornar a fim de recuperar qualquer de seus pertences, mas o fogo já havia se alastrado pelo quarto e parte da cozinha e os móveis e pertences pessoais que se encontravam no quarto foram totalmente destruídos pelo fogo.

Foi acionada a Polícia Militar, que compareceu no local, vindo a encontrar o indiciado nas imediações, e ao ser abordado, extremamente alterado, foi algemado e colocado na viatura, onde passou a se debater, provocando sangramento em sua cabeça tendo que passar por atendimento médico.

Foi acionada a equipe do Corpo de Bombeiros, que apagaram as chamas no local, sendo constatado pelas autoridades que o quarto foi totalmente destruído pelo fogo e parcialmente destelho.

A cozinha foi parcialmente destruída pelo fogo e apenas a sala estava intacta, estando o local com forte cheiro de fumaça, assim como a vítima.

Tendo em vista a gravidade da situação, uma vez que o indiciado incendiou o local com a vítima ainda em seu interior, tendo como objetivo matá-la, a delegada, Dra. Denise Vichiato Polizelli, determinou sua prisão em flagrante por feminicídio tentado, sendo o indiciado encaminhado para a cadeia pública de Colina, permanecendo a disposição da Justiça.